11.11.16

Compras em NYC



Quando decidimos viajar para Nova York a primeira coisa que coloquei na lista foi comprar meu estojo de aquarela profissional. Estava muito animada, pois seria uma oportunidade imperdível, já que no Brasil além de 3x mais caro é muito difícil de achar.

Então, com a ajuda da minha querida professora, decidi comprar um estojo de 24 cores da Rembrandt, mas chegando lá descobri uma grande dificuldade em achar estojos de metal nas lojas da Dick Blick (a Casa do Artista de Nova York). Já estava me dando um pequeno pânico com a perspectiva de não levar meu tão desejado estojo pra casa quando achei, na Jerry's, um estojo de 48 cores da Lukas, por $170. Quase abracei a vendedora! haha
 
Lukas não era a marca que eu estava procurando, já que a qualidade das aquarelas não é top de linha, mas como eu tinha um estojo de estudante da Winsor & Newton que me deixava na mão várias vezes, ter comprado esse estojo já foi um upgrade e tanto! Já usei e é muito nítida a diferença da qualidade entre as duas linhas.




Além disso, papel também é um ótimo negócio, já que eu comprei Arches por $30, sendo que no Brasil custa R$400. Ainda não experimentei (esse tipo de papel só dá pra usar quando tiver bastante certeza haha), mas volto pra mostra ro resultado. Comprei também alguns blocos menores da Winsor & Newton para experimentar e, por mais que seja celulose, achei de ótima qualidade. Ele aguenta bem manipulação e é bem texturizado. (Veja Ficha técnica no final do post)




Também comprei também algumas canetas Copic para experimentar e gostei bastante. O ideal é que sejam usadas em papel resistente, pois elas tendem a manchar (inclusive o outro lado do papel).

Infelizmente não comprei nenhum pincel. Eu já tinha acabado de gastar uma grana com pincel aqui no Brasil e fiquei perdida entre tantas opções na loja...  Também não senti tanta vantagem no preço então fiquei meio que sem paciência, queria ir pra rua e visitar pontos turísticos de NY. rs



É isso, gente. Eu queria colocar o preço de tudo pra vocês, mas eu perdi a nota na bagunça da mala. :'(

Agora tenho bastante material pra produzir muita coisa legal pras feiras que acontecem em dezembro! Terá Mercado Manual dias 2 e 3 de dezembro, e Jardim Secreto dia 17! Quem for de SP vai lá me ver. :)

Ah, estou editando e mandando imprimir as fotos da viagem. Em breve eu volto pra contar como foi!

Winsor & Newton Artists' Water Colour Paper Mould-made, acid free 300g, cold pressed
Winsor & Newton Cotman Spiral Water Colour Pad 300g cold pressed, grain fin (não recomendo para aquarela)
Arches Grain Fin, 300g 18x26 cm
Arches Grain Satiné, 300g 31x41 cm (não aparece nas fotos)
Estojo de metal de 48 cores da Lukas
6 cores de caneta a base de alcool da Copic. Cores na foto acima

7.4.16

(re)descobrindo aquarela


Entrei na faculdade de design com 17 anos #baby (anos depois acabei me formando em artes visuais) e desde essa época tive várias aulas em vários lugares de desenho de observação, laboratórios de ilustração, pintura, etc, mas nunca tinha me interessado muito por aquarela... só que esse ano, a minha paixão por desenhar plantas me levou a começar um curso de ilustração botânica, e a técnica é aquarela. Como eu já tinha uma paleta (essa da foto) da Winsor&Newton, de 12 cores, e alguns pincéis, só precisei aparecer no ateliê da minha professora de coração aberto para aprender coisas novas.

E me apaixonei!!! Continuo achando super difícil, mas venho descobrindo aos poucos que tendo um bom professor (e a minha é ótima) e muita força de vontade, o medo vai indo embora e dá lugar à segurança. Meu caminho ainda é longo e envolve muito suor, uma média de duas horas de estudo por dia e muita auto-terapia pra lidar com as frustrações, mas também é muito gratificante ver a sua própria evolução (e isso só com 3 semanas de aula, hein?!).

Então tenho produzindo muito... provavelmente muitos dos próximos posts serão sobre isso. :)


10.2.16

Saldo do carnaval: filmes


Não, não estou com glitter até na alma. E não tem nenhuma música de carnaval na minha cabeça, nem estou de ressaca, toda imprestável. Nada contra quem curte o carnaval, mas o meu jeito de curtir a folia é outro. Também faço parte do time dos Unidos do Netflix e Acadêmicos das leituras atrasadas! Seeendo assim, vim contar quais são os filmes que assisti no feriado. Infelizmente não consegui ler tanto quanto gostaria, então eu só terminei um livro que estava em andamento e cheguei na metade de outro (quando terminar esse segundo eu faço um post).



Tão Forte e Tão Perto ★★★★☆

Difícil falar desse filme. Ele é baseado no livro Extremamente Alto & Incrivelmente Perto, de Jonathan Safran Foer (eu só li esse livro dele mas já se tornou um autor favorito). Depois vou falar com calma desse combo livro + filme, mas já adianto que eles tiveram que adaptar um pouco a história, claro, mas conseguiram manter a sensibilidade e a melancolia do filme. Pra quem não conhece, ele que conta a história de um menino super peculiar, que perde o pai no 11 de setembro e parte em uma aventura para desvendar um mistério envolvendo uma chave que ele encontrou nas coisas do pai.



Poltergeist ★★★☆☆

Acreditam que eu nunca tinha visto esse filme? É claro que se eu tivesse assistido quando eu era criança teria tido um outro efeito sobre mim... não é como Goonies, que você pode assistir em qualquer idade que tudo bem, vai continuar sendo fantástico. O filme é de 1982, então os efeitos hoje em dia são considerados bem grotescos e o roteiro não é nada genial (de novo, pra época deve ter sido algo especial). Virou um cult, quase um filme B, mas mesmo assim fico feliz de ter assistido e vou assistir os outros dois da trilogia.



Clube dos cinco ★★★☆☆

Também nunca tinha assistido esse. É divertido ver como todos os cinco cobrem bem os estereótipos dos alunos de colégio ameriano: o bad boy, o esportista, o nerd, a patricinha e a esquisitona. Hoje em dia isso já tá bem batido e eu nunca assistiria um filme assim se tivesse sido lançado em 2016, mas eu adoro esses filmes com aura dos anos 80 porque a trilha sonora nunca me decepciona! Porém, achei o roteiro fraco e a relação entre eles meio forçada, mas pra um filme sessão da tarde, tá ótimo!

||| BÔNUS ||| Arquivo X (1ª temporada) ★★★★★

Gente! Gente, para tudo! O Dayan começou a assistir esse seriado há algumas semanas e eu fiquei toda "ah, nem ferrando vou começar a assistir um seriado com 9 temporadas!", então ele decidiu começar a assistir sozinho. Sempre ficava na sala com ele, no notebook, fazendo meus crochês.... quando eu me vi assistindo e viciada na série! Faltam 3 episódios pra terminar, mas já ganhou 5 estrelas! Que venham mais 8 temporadas!


E foi isso! Queria muito ter visto os filmes do Oscar, mas como ele é só dia 28 dá tempo de fazer uma maratona até lá. E vocês, o que fizeram no carnaval?


2.2.16

Eu fiz meu primeiro amigurumi. E ele se chama Alfredo.


Tricoto há alguns anos, mas foi só no ano passado que resolvi aprender crochê. E foi amor a primeira vista. É mais fácil e dinâmico que o tricô, e se você perde algum ponto não é aquele desespero. Estou sempre aprendendo mais e tem se tornado um vício.

Daí que em algum momento do ano passado resolvi fazer um amigurumi (que são bichinhos de pelúcia/decoração feitos de crochê) e fui atrás de referências, mas achei maioria meio cafoninha, sabe?! Foi quando achei o trabalho da Jen Willians e fiquei apaixonada. A forma do coelhinho era simples, eu achei que era capaz de fazer, então, com a ajuda da minha sogra começamos a pensar como ele poderia ser feito, pois copiamos o coelho de olho, ela não dá a receita (na verdade usamos ele como referência... o meu é bem maior e com algumas diferenças).


Foi um projetinho longo (mais por culpa minha, por ter deixado de lado por várias semanas, do que do trabalho que ele realmente me deu) e o acabamento está bem amador, mas é meu primeiro amigurumi e fiquei bem feliz com ele. :)

Eu estou tão empolgada com o mundo do crochê que estou desenvolvendo algumas novidades, que não posso contar agora, mas já adianto que são coisas lindas! Essas sim serão criações minhas e eu vou vender no Cambada, um projeto que tenho em parceria com o Dayan, e que é minha grande aposta de 2016. Aguardem!!! #expectativas

Nota de esclarecimento: o meu coelho foi copiado por mim e pra mim, sem intenção nenhuma de comercializar. Como nas artes, há uma política rigorosa de plágio entre as criações de crochê e tricô, nunca copiaria pra vender e ganhar dinheiro em cima das criações de outra pessoa. 

 

14.1.16

4 marcas de slow fashion pra comprar

Depois de ver notícias como essa, tenho cada vez mais certeza que preciso parar de comprar roupa em loja de departamento. Isso é muito difícil, pois 100% das minhas roupas vem dessas lojas (deixei de comprar no eBay faz muito tempo), já que não gosto muito de comprar roupa em brechó e não tenho dinheiro suficiente para comprar em lojas mais caras, onde eu sei que a produção é mais controlada. Acredito também que essa seja a realidade da maioria das minhas amigas, que inclusive não compramos de outros lugares por falta de informação ou conhecimento de marcas alternativas.

Sendo assim, trago nesse post 4 marcas lindas que eu gosto muito e que tem um posicionamento super do bem (usam materiais orgânicos, vegan, sem exploração de pessoas ou da natureza, etc) além de ter coisas lindas.



 1. EVNA Acessórios lindos com pedras naturais feitos sob encomenda pelas mãos da própria dona da marca. Acompanho desde que começou e é muito gratificante ver o reconhecimento que a marca tá tendo agora.

2. MARIA NUVEM Faz roupas lindas, cheias de estilo, com leveza, elegância, ai, só amor!

3. INSECTA SHOES Tem uma proposta muito interessante: reutilizar o tecido de roupas de brechó e que já foram esquecidas pelos seus donos, e transformá-las em sapatos lindos! Sem contar que a marca é vegana.

4. GIOCONDA CLOTHING Peças íntimas e de ficar em casa feitas de algodão. Respeitam nosso corpo e o meio ambiente.

Nem sempre essas marcas vão ser mais baratas do que as coisas que você vai encontrar na Forever 21 ou na Riachuelo, como no caso da matéria que saiu essa semana, mas você certamente vai estar apoiando pequenos produtores/criativos a viverem do que amam e dão o seu melhor pra fazer seu negócio dar certo!
Quando você compra de um pequeno negócio, você não está ajudando um presidente de uma grande empresa a comprar sua terceira casa de férias. Você está ajudando uma garotinha a ter aulas de dança, um garotinho a ter sua camiseta de time de futebol, uma mãe ou pai a colocar comida na mesa, a família a pagar a hipoteca ou um estudante a pagar seus estudos. Nossos consumidores são nossos acionistas e nos esforçamos pra fazê-los felizes. Obrigada por apoiar pequenos negócios! [tradução livre]

Sem contar que eu sempre fui uma pessoa consumista, quando se trata e roupa/bolsa/sapato. Aos poucos eu venho aprendendo que menos é mais, principalmente se você se preocupa com a qualidade e a origem dos produtos que está comprando... Isso acaba compensando o fato de se pagar um pouco mais pelas peças.

Bem, gente, é isso! Muitas marcas vocês já devem conhecer, pois comecei a pesquisar esse universo há pouco tempo e conheço só as mais famosas... então se vocês conhecerem outras marcas/lojas, por favor, me avisem. E quem se interessa por esse assunto (consumo consciente, veganismo, ativismo, slow life etc), visitem o site mais atual e legal que tenho acompanhado, o Modefica.
 
–––––––
Sei que estou devendo um post pra falar dos produtos crueltyfree/base vegetal que estou usando ultimamente, gente. Estou testando tudo e quero escrever esse post com calma, ok? Lembrando que eu não tenho know-how pra fazer esse post, mas vocês ficaram muito curiosas e quanto mais gente conseguirmos trazer pro lado negro da força, melhor. ;)

:*